quarta-feira, março 14, 2012

O cérebro e o coração. A Emoção e a Razão.


O ser humano, espécie inigualável, incomparável, único. Dotado de uma força, energia a capacidades infinitas. E o maior segredo, além da vida, da criação, do universo, encontra-se dentro da caixa craniana: o cérebro humano. Um sistema organizado, complexo, milhões de neurônios, energia. Objeto de pesquisas desde os tempos mais remotos. O homem segue em busca de desvendar o mistério da vida e o enigma do pensamento para entender a si mesmo e descobrir (embora talvez ainda não saibam) um meio de ser mais feliz (ou menos triste).
A ciência tem feitos descobertas extraordinárias. A ciência do comportamento humano cumpre papel fundamental para desenvolver as potencialidades humanas. Mais o avanço que mais demonstra a evolução do humano é o nascimento do desejo de ser mais espiritualizado, mais humano, mais compassivo. Neste século de tantas catástrofes a razão e a emoção estão fazendo as pazes. O lógico está de mãos dadas com a inteligência emocional afinal, é tão lógico saber que é preciso saber gerenciar as emoções. E finalmente, o pensamento de Einstein já faz sentido para muitos de nós. Eis a sentença: “Ciência sem religião é manca, religião sem ciência é cega”. Não a religião que rotula, mas a ligação entre o homem e a força superior que faz morada nele mesmo.
A conquista da humanização do homem é mesurada pelas mentes que aceitam que além do visível, do palpável existe o imaginável, o transcendental. E isto simplesmente faz sentido e ponto final. Quero te convidar para conhecer parte de uma entrevista do Dr Paulo Niemeyer Filho, neurocirurgião,  concedida à Revista Poder.
                        Dr Paulo Niemeyer Filho -  Neurocirurgião  
Com 30 anos de profissão, o carioca Paulo Niemeyer Filho é um médico raro, que une o conhecimento científico com uma profunda qualidade humana.
Casado, pai de 4 filhos, o doutor Paulo Niemeyer Filho pertence a uma família ilustre: ele é sobrinho do arquiteto Oscar Niemeyer e filho do doutor Paulo Niemeyer, um dos pioneiros da neurocirurgia no país e considerado até hoje o maior neurocirurgião brasileiro.   
Dedicação
Paulo Niemeyer Filho faz questão de comandar pessoalmente todos os casos de cirurgia que chegam às suas mãos. Ele atende pacientes de todas as camadas sociais e dirige o instituto de neurocirurgia na Santa Casa da Misericórdia, onde atende e opera pessoas pobres. 


·         O que fazer para melhorar o cérebro?
Resposta: Você tem de tratar do espírito. Precisa estar feliz, de bem com a vida, fazer exercício. Se está deprimido, reclamando de tudo, com a autoestima baixa, a primeira coisa que acontece é a memória ir embora; 90% das queixas de falta de memória são por depressão, desencanto, desestímulo. Para o cérebro funcionar melhor, você tem de ter alegria. Acordar de manhã e ter desejo de fazer alguma coisa, ter prazer no que está fazendo e ter a autoestima no ponto.
·          Cabeça tem a ver com alma? 
Resposta: Eu acredito que a alma está na cabeça. Quando um doente está com morte cerebral, você tem a impressão de que ele já está sem alma... Isso não dá para explicar, o coração está batendo, mas ele não está mais vivo. Isto comprova que os sentimentos se originam no cérebro e não no coração.
·         Existe algum inimigo do bom funcionamento do cérebro? 
Resposta: Todo exagero. Na bebida, nas drogas, na comida, no mau humor, nas reclamações da vida, nos sonhos, na arrogância,etc.
O cérebro tem de ser bem tratado como o corpo. Uma coisa depende da outra.
É muito difícil um cérebro muito bom num corpo muito maltratado, e vice-versa.
·         PODER: Qual a evolução que você imagina para a neurocirurgia?
Resposta:  Até agora a gente trata das deformidades que a doença causa, mas acho que vamos entrar numa fase de reparação do funcionamento cerebral, cirurgia genética, que serão cirurgias com introdução de cateter, colocação de partículas de nanotecnologia, em que você vai entrar na célula, com partículas que carregam dentro delas um remédio que vai matar aquela célula doente que te faz infeliz. Daqui a 50 anos ninguém mais vai precisar abrir a cabeça.

·         PODER: Você acha que nós somos a última geração que vai envelhecer? 
Resposta: Acho que vamos morrer igual, mas vamos envelhecer menos. As pessoas irão bem até morrer. É isso que a gente espera. Ninguém quer a decadência da velhice. Se você puder ir bem mentalmente, com saúde, e bom aspecto, até o dia da morte, será uma maravilha.

·         PODER: Hoje a gente lida com o tempo de uma forma completamente diferente. Você acha que isso muda o funcionamento cerebral das pessoas? 

Resposta: O cérebro vai se adaptando aos estímulos que recebe, e às necessidades. Você vê pais reclamando que os filhos não saem da internet, mas eles têm de fazer isso porque o cérebro hoje vai funcionar nessa rapidez. Ele tem de entrar nesse clique, porque senão vai ficar para trás. Isso faz parte do mundo em que a gente vive e o cérebro vai correndo atrás, se adaptando.

·         Você acredita em Deus?
Resposta: Geralmente depois de dez horas de cirurgia, aquele estresse, aquela adrenalina toda, quando acabamos de operar, vai até a família e diz: "Ele está salvo".
Aí, a família olha pra você e diz:
"Graças a Deus!".
Então, a gente acredita que não fomos apenas nós, que existe algo mais independente de religião.

                E assim, algum dia, todos nós compartilharemos da lógica de sermos seres espirituais em essência. Conhecedores da verdade de que sem amor não há felicidade possível.



                                       




Nenhum comentário: